Músico de Orquestra: Conhece esta profissão

Os músicos de orquestra são verdadeiros artesãos da harmonia e da emoção. Dotados de habilidades técnicas refinadas e de uma profunda compreensão da música, eles trabalham em conjunto para criar paisagens sonoras que podem transportar o público por uma viagem de sentimentos indescritíveis, desde os mais suaves murmúrios de uma melodia delicada até o poderoso clímax de uma sinfonia avassaladora.

Os músicos de orquestra atuam como parte de um coletivo maior, onde cada membro é essencial para a execução perfeita de obras que exigem precisão e sincronia. Quer estejam diante de um pequeno concerto de câmara ou uma grande sinfonia, esses artistas dedicam suas vidas ao estudo e à performance, contribuindo com sua técnica pessoal e sensibilidade artística para a beleza do conjunto.

O que faz um Músico de Orquestra?

Talento orquestal.
Um músico de orquestra é um artista especializado que executa música como parte de um grupo orquestral. Em Portugal, como em muitos outros países, estes músicos desempenham um papel vital no panorama cultural, participando em concertos, recitais, e eventos. A função de um músico de orquestra pode ser desdobrada em várias responsabilidades e atividades chave:

  • Ensaios e Prática Pessoal: A base de um bom desempenho é a prática contínua e disciplinada. Os músicos de orquestra dedicam muitas horas a estudar as suas partes individualmente, afinando a técnica e a expressão musical, antes de se juntarem ao coletivo para ensaios regulares.
  • Leitura à Primeira Vista: Os músicos de orquestra devem ser proficientes em leitura à primeira vista, ou seja, aptos a tocar uma peça de música corretamente na primeira tentativa. Esta habilidade é crucial devido ao vasto repertório que uma orquestra pode abordar e ao curto tempo de preparação muitas vezes disponível.
  • Interpretação Musical: Além de tocar as notas escritas, é esperado que o músico contribua com a sua sensibilidade artística, interpretando dinâmicas, articulações e emoções que dão vida à música.
  • Atuações: Os músicos apresentam-se regularmente em espaços culturais como teatros e salas de concerto. Suas atuações podem incluir concertos sinfónicos, óperas, ballets, programas educativos, ou colaborações com solistas e maestros convidados.
  • Colaboração e Comunicação: Um bom músico de orquestra deve também ser um excelente colega de equipe, trabalhando em harmonia com os outros membros da orquestra e comunicando efetivamente com o maestro e a secção na qual está inserido.
  • Manutenção do Instrumento: É de extrema importância que o músico mantenha o seu instrumento em perfeito estado, o que implica um cuidado rigoroso e, por vezes, a consulta a luthiers ou técnicos especializados.
  • Auditions e Testes: Músicos que pretendam ingressar em uma orquestra profissional geralmente têm de passar por um processo de seleção competitivo conhecido como audição, onde demonstram a sua habilidade técnica e expressiva.
  • Educação e Pedagogia: Muitos músicos de orquestra em Portugal complementam a sua atuação com atividades didáticas, ensinando nas conservatórias, escolas de música ou em masterclasses.
  • Dentro de uma orquestra, cada músico tem a sua especialização, dependendo do instrumento que toca. As secções mais comuns em uma orquestra incluem cordas, madeiras, metais e percussão, cada uma com diferentes papéis dentro do conjunto. A vida de um músico de orquestra exige, portanto, paixão pela música, dedicação, e uma constante busca pela excelência tanto individual como coletivamente.

    Quais são as responsabilidades dessa profissão?

    Um músico de orquestra em Portugal tem diversas responsabilidades, as quais são essenciais para o bom funcionamento da própria orquestra e para a qualidade das performances musicais entregues ao público. Entre as principais responsabilidades desta profissão, destacam-se:

    • Interpretação musical: Executar partituras com alto nível de habilidade técnica e expressividade, seguindo a direção do maestro(a) e mantendo a integridade da composição musical.
    • Ensaios: Participar ativamente dos ensaios, preparando-se individualmente e em conjunto para garantir a coesão do grupo e a precisão nas execuções das obras.
    • Manutenção do instrumento: Cuidar do próprio instrumento musical, garantindo que esteja sempre em perfeitas condições de uso. Isso inclui limpeza, afinação e, se necessário, reparos.
    • Educação musical contínua: Continuar estudando e praticando para aprimorar suas habilidades, técnicas e conhecimento do repertório, tanto clássico como contemporâneo.
    • Concertos e apresentações: Atuar em concertos, recitais e outros eventos musicais, o que pode incluir espetáculos ao vivo, gravações em estúdio e tournées, tanto a nível nacional como internacional.
    • Colaboração artística: Trabalhar em conjunto com outros músicos, sejam eles da própria orquestra ou convidados, estabelecendo uma dinâmica de grupo eficaz e harmoniosa.
    • Profissionalismo: Demonstrar pontualidade, dedicação e seriedade em todos os compromissos profissionais associados ao papel de músico de orquestra.

    Além dessas responsabilidades, muitos músicos de orquestra em Portugal também se dedicam ao ensino, compartilhando seus conhecimentos e experiências com estudantes e jovens músicos, contribuindo para a formação das futuras gerações de artistas. Esta vertente pedagógica também é uma parte valiosa da carreira de muitos músicos de orquestra.

    Quais habilidades são necessárias para ser bem-sucedido nessa área?

    Para ser um músico de orquestra bem-sucedido em Portugal, ou em qualquer outro lugar, é necessário um conjunto de habilidades técnicas, musicais e pessoais. As seguintes habilidades são fundamentais para aqueles que almejam a excelência nesse campo profissional:

  • Habilidade técnica no instrumento: Um músico de orquestra deve dominar as técnicas do seu instrumento, incluindo articulação, afinação, e a capacidade de executar uma ampla gama de repertório com precisão e expressão.
  • Leitura à primeira vista: A capacidade de ler e interpretar partituras complexas à primeira vista é essencial, já que os músicos frequentemente trabalham com novas obras e têm pouco tempo para preparação.
  • Conhecimento de teoria musical: Entender os fundamentos da música, como harmonia, contraponto e forma musical, é crucial para interpretar as obras de maneira correta e expressiva.
  • Educação musical formal: A maioria dos músicos de orquestra tem um grau de educação formal, como um diploma de conservatório, que aprofunda tanto o conhecimento teórico quanto a prática no instrumento.
  • Experiência em conjunto: A habilidade de tocar em grupo, seguindo o maestro e interagindo de forma coesa com os outros músicos é essencial para criar uma performance harmônica e equilibrada.
  • Capacidade de adaptação: Músicos de orquestra precisam ser capazes de se adaptar à diferentes estilos de maestros, repertórios e ambientes de performance.
  • Resistência e concentração: Performances longas e ensaios exigem resistência física e mental, bem como uma concentração intensa para manter um alto nível de performance ao longo do tempo.
  • Comunicação e trabalho em equipe: Trabalhar de forma colaborativa com outros músicos e comunicar-se eficazmente, tanto musicalmente quanto verbalmente, é vital para a coesão da orquestra.
  • Profissionalismo: Pontualidade, preparação adequada para ensaios e performances, e a manutenção do instrumento em boas condições refletem o profissionalismo necessário para ter sucesso nessa carreira.
  • Ler mais  Diretor de loja: Conhece esta profissão

    Estas habilidades, quando combinadas com uma paixão pela música e um compromisso com a excelência artística, podem ajudar a garantir uma carreira bem-sucedida como músico de orquestra em Portugal. O caminho para se tornar um músico de orquestra é geralmente longo e requer dedicação e trabalho contínuo, mas para muitos, as recompensas de realizar música a esse nível são imensuráveis.

    Qual é a média salarial nesse campo?

    Em Portugal, a média salarial de um músico de orquestra pode variar significativamente consoante a orquestra, a sua posição dentro da mesma, a experiência e o reconhecimento do músico. De maneira geral, o salário de um músico em início de carreira numa orquestra regional poderá ser mais modesto, enquanto músicos de orquestras nacionais de renome, como a Orquestra Gulbenkian ou a Orquestra Sinfónica Portuguesa, tendem a auferir rendimentos superiores.

    No entanto, é importante notar que muitos músicos não têm um salário fixo, pois podem trabalhar por projeto ou como freelancers. Ao mesmo tempo, é comum que combinem o trabalho orquestral com o ensino, atuações solo ou em pequenos conjuntos, o que pode complementar significativamente o seu rendimento.

    Segundo dados disponíveis, a média salarial para um músico de orquestra em Portugal pode rondar entre:

    • 1.000€ a 1.500€ mensais para músicos em início de carreira ou em orquestras de menor dimensão;
    • 1.500€ a 2.500€ para músicos com alguma experiência e que estejam integrados em orquestras de maior prestígio;
    • Acima de 2.500€ para músicos solistas ou na posição de spalla (concertino) nas orquestras mais reconhecidas.

    Estes valores são indicativos e sujeitos a variações, dependendo de contratos específicos, acordos coletivos de trabalho e outras variáveis. Além disso, é importante lembrar que os músicos muitas vezes enfrentam períodos de instabilidade financeira entre projetos, o que torna a média salarial um valor não absolutamente fixo ou garantido.

    Adicionalmente, os salários podem sofrer alterações em acordo com a conjuntura económica do país e com alterações nas políticas de financiamento da cultura. Portanto, torna-se essencial para os músicos de orquestra manter uma formação contínua e uma rede de contatos sólida para aproveitar as diversas oportunidades que surgem no campo musical.

    Que tipo de formação ou educação é necessária para ingressar nessa carreira?

    Para se tornar um músico de orquestra em Portugal, é obrigatório possuir uma formação sólida e aprofundada em música, que geralmente se inicia ainda na infância ou na adolescência. Segue-se uma listagem dos passos e tipos de formação geralmente necessários para seguir esta carreira profissional:

    • Educação Musical Inicial: Muitos músicos começam a sua educação musical em escolas de música ou conservatórios ainda jovens, aprendendo a teoria musical básica e a prática instrumental.
    • Ensino secundário Artístico especializado: Existem escolas secundárias com especialização em música onde os alunos podem prosseguir estudos mais avançados enquanto completam a sua educação secundária.
    • Ensino Superior em Música: Para uma carreira profissional é quase sempre exigido um diploma de ensino superior, geralmente um Bacharelato ou Licenciatura em Música, com especialização no instrumento de escolha, oferecido por conservatórios e universidades.
    • Formação em Orquestra Juvenil/Estudantil: Uma experiência valiosa pode ser adquirida ao participar em orquestras juvenis ou estudantis, o que permite aos futuros músicos de orquestra aprimorarem o seu desempenho em conjunto e a desenvolverem habilidades de trabalho em equipe.
    • Masterclasses e Workshops: Participar em masterclasses e workshops é uma forma importante de aprender com músicos conceituados e de aperfeiçoar técnicas específicas.
    • Pós-Graduação ou Mestrado: Músicos mais dedicados e que desejam especializar-se ou aprofundar os seus conhecimentos podem optar por prosseguir um mestrado ou mesmo um doutoramento em performance musical.
    • Audições: Uma parte crucial da formação de um músico de orquestra é preparar-se para audições, que são o meio pelo qual muitos músicos obtêm as suas posições em orquestras profissionais.
    • Experiência Profissional: A experiência de tocar profissionalmente, seja em pequenos conjuntos ou em orquestras de menor escala, é essencial para entender o funcionamento do campo profissional e para criar uma rede de contatos.

    É importante ressaltar que, além da formação técnica e prática, os músicos de orquestra devem possuir outras competências, como disciplina, dedicação, capacidade de trabalhar em equipe e a habilidade de interpretar partituras complexas. Além disso, ter uma boa saúde física, especialmente para os instrumentistas, é essencial, visto que tocar um instrumento frequentemente exige resistência e pode ser fisicamente exigente.

    Quais são os principais desafios enfrentados por profissionais nesse setor?

    Os músicos de orquestra em Portugal, assim como em muitas partes do mundo, enfrentam vários desafios profissionais e pessoais ao longo da sua carreira. A competição intensa, a instabilidade financeira e a exigência física e emocional da profissão estão entre os aspectos mais desafiantes. A seguir, exploramos mais detalhadamente alguns destes desafios:

    • Competitividade Elevada: A entrada numa orquestra profissional é muitas vezes altamente competitiva, com múltiplos candidatos qualificados para um número limitado de posições. Ter uma carreira de sucesso como músico de orquestra muitas vezes significa superar anos de audições rigorosas e rejeições.
    • Instabilidade Financeira: Muitos músicos de orquestra enfrentam episódios de trabalho freelance ou contratos temporários antes de conseguir uma posição permanente. Mesmo dentro de orquestras estabelecidas, a segurança financeira pode ser uma preocupação, especialmente em tempos de cortes orçamentários ou crises econômicas.
    • Pressão Física: Tocar um instrumento em um alto nível pode ser fisicamente exigente, levando a lesões relacionadas com a postura, a execução repetitiva e o esforço muscular. A manutenção da saúde física é essencial, mas pode ser um desafio constante.
    • Carga Horária Intensa: A preparação para concertos e temporadas pode envolver longas horas de ensaios individuais e coletivos, muitas vezes sem o reconhecimento das horas extra de estudo e prática pessoal.
    • Equilíbrio Trabalho/Vida Pessoal: Dado o horário atípico dos ensaios e apresentações, que frequentemente ocorrem à noite e aos fins de semana, pode ser desafiador para os músicos manter um equilíbrio saudável entre a carreira e a vida pessoal.
    • Desenvolvimento Profissional: Manter-se atualizado com novas técnicas, estilos de música e tendências pedagógicas é vital para a carreira de um músico. O aprendizado contínuo requer tempo, dedicação e, muitas vezes, recursos financeiros adicionais.
    • Desafios Psicológicos: A pressão para atuar perfeitamente e as expectativas altas podem levar a questões de ansiedade de performance e estresse, que necessitam ser gerenciadas para garantir a longevidade na carreira.
    • Mudanças na Indústria: Os músicos também estão sujeitos às rápidas mudanças na indústria da música, como novos formatos de distribuição de música e diminuição de públicos em certos gêneros, o que pode afetar oportunidades de trabalho e relevância artística.
    Ler mais  Diretor de Recursos Humanos (RH): Conhece esta profissão

    Estes são apenas alguns dos múltiplos desafios enfrentados por músicos de orquestra em Portugal. Apesar destes obstáculos, muitos músicos continuam a perseguir esta carreira pela paixão à música e pela alegria de compartilhar a arte com o público.

    Quais são as diferentes especializações ou áreas de atuação dentro dessa profissão?

    A profissão de músico de orquestra envolve uma ampla gama de especializações, cada uma correspondendo a um grupo diferente de instrumentos ou a funções distintas dentro do contexto orquestral. Em Portugal, como em outros países com uma tradição clássica sólida, as orquestras organizam-se habitualmente segundo a seguinte estrutura, com músicos especializados em diferentes seções:

    Cordas

    • Violino
    • – os violinistas dividem-se geralmente em dois grupos, os primeiros e os segundos violinos, com diferentes partes na harmonia orquestral.

    • Viola
    • – os violistas tocam um instrumento que é uma versão ligeiramente maior do violino e que proporciona timbres mais graves.

    • Violoncelo
    • – os violoncelistas contribuem com timbres ainda mais profundos que as violas, desempenhando um papel fundamental na seção de cordas.

    • Contrabaixo
    • – os contrabaixistas tocam o maior e o mais grave dos instrumentos de cordas, essencial para a fundação harmônica da orquestra.

    Sopros Madeiras

    • Flauta
    • – Para além da flauta transversal comum, podem haver especializações em flautim (a flauta mais aguda) ou flauta baixo.

    • Oboé
    • – Inclui também instrumentos relacionados, como o corne inglês, que tem um timbre mais melancólico e profundo.

    • Clarinete
    • – Os clarinetistas podem especializar-se em diferentes tipos de clarinetes, como o clarinete baixo ou o clarinete alto.

    • Fagote
    • – O fagote e o contrafagote adicionam as vozes mais graves às madeiras, com um som distintivo e rico.

    Sopros Metais

    • Trompete
    • – O trompete é um instrumento versátil com um som penetrante, usado em muitos estilos de música.

    • Trompa
    • – A trompa (ou French Horn) tem um som suave e é muitas vezes usada em passagens melódicas.

    • Trombone
    • – O trombone possui uma gama tonal extensa e é conhecido pelo seu slide característico.

    • Tuba
    • – A tuba é o maior instrumento de metais e tem um papel importante na seção rítmica.

    Percussão

    • Tímpanos
    • – Grandes tambores que são afinados para tocar notas específicas e são usados para criar efeitos de dinâmica e ênfase.

    • Instrumentos de Percussão Auxiliar
    • – Inclui uma variedade de instrumentos como triângulo, pratos, tambor, xilofone, e muitos outros que adicionam cor e textura ao som da orquestra.

    • Instrumentos de Teclas
    • – Como o piano, celesta ou cravo, que podem ser utilizados em peças orquestrais específicas para adicionar harmonia ou destaque melódico.

    Cada uma destas especializações requer um alto grau de habilidade técnica e artística, e muitos anos de estudo. Em Portugal, os músicos de orquestra são frequentemente formados em conservatórios e escolas de música, desenvolvendo ao longo dos anos a destreza e a sensibilidade necessárias para executar obras que vão desde o repertório clássico até às composições mais contemporâneas.

    Como é o ambiente de trabalho típico para essa carreira?

    O ambiente de trabalho de um músico de orquestra em Portugal pode variar consideravelmente dependendo da natureza da orquestra, seja ela uma orquestra sinfónica nacional, uma orquestra de câmara, uma banda filarmónica ou uma orquestra associada a teatros ou ópera. Independentemente do contexto, alguns aspetos são comuns na experiência destes profissionais.

    • Ensaios e Atuações: O músico passa grande parte do seu tempo em ensaios, que são cruciais para garantir a qualidade das atuações. Os concertos podem ser tanto em espaços fechados, como teatros e salas de concerto, quanto ao ar livre, em festivais ou eventos especiais.
    • Viagens: Muitas vezes, os músicos de orquestra têm a oportunidade de viajar, tanto no território nacional como internacionalmente, para diversas apresentações, o que pode ser tanto um ponto positivo (oportunidade de conhecer novos lugares) quanto um desafio (tempo longe de casa).
    • Disciplina e Rigor: A profissão exige grande disciplina para manter uma prática instrumental constante e aperfeiçoamento técnico, assim como rigor na interpretação das partituras e no acompanhamento da regência.
    • Ambiente Colaborativo: O trabalho em equipe é essencial, visto que uma orquestra é composta por diversos instrumentistas que têm de atuar de maneira coesa. O respeito mútuo e a comunicação são fundamentais para o sucesso das apresentações.
    • Condições de Trabalho: Em Portugal, as condições de trabalho podem incluir contratos permanentes, contratos de temporada ou trabalho freelance, com variação relativa em termos de estabilidade de emprego e benefícios associados como segurança social e férias.
    • Adaptação a Diversos Repertórios: Dependendo da especialização da orquestra, o músico pode estar envolvido numa vasta gama de estilos, desde música clássica até contemporânea, exigindo versatilidade e contínua atualização profissional.
    • Interpretação e Expressão: Mais do que técnica, o músico de orquestra deve também ser capaz de interpretar a música com emoção e expressão, transmitindo ao público a essência das obras executadas.
    • Tecnologia e Inovação: Novas tecnologias, como softwares de notação musical ou gravação avançada, fazem cada vez mais parte do dia-a-dia do músico, exigindo uma atualização técnica constante.
    • Segurança e Saúde: A natureza física do trabalho requer atenção à postura e saúde corporal para evitar lesões, assim como a gestão do stress e da carga emocional associada a performances.

    Em Portugal, ser músico de orquestra é uma carreira que alia paixão pela música a um ambiente de trabalho desafiante e recompensador, mas tal como todas as carreiras artísticas, exige dedicação, persistência e uma constante busca pela excelência.

    Que conselhos você daria para alguém que está considerando seguir essa profissão?

    A carreira de músico de orquestra é desafiadora e extremamente gratificante. Se está considerando seguir esta profissão em Portugal, aqui estão alguns conselhos importantes:

    • Educação Musical: Inicialmente, é imprescindível que você tenha uma sólida formação musical. Isso geralmente começa com a educação musical em conservatórios ou escolas de música e muitas vezes segue para o estudo em uma universidade ou instituição superior de música. Invista tempo e dedicação desde cedo no domínio do instrumento que escolher.
    • Prática Regular: A prática diária é fundamental para o desenvolvimento técnico e musical. Um músico de orquestra precisa estar preparado para tocar um vasto repertório com destreza e precisão.
    • Experiência Orquestral: Participar de jovens orquestras ou ensembles pode fornecer uma experiência inestimável. Esta é uma oportunidade para aprender o repertório orquestral, aprimorar a habilidade de tocar em grupo e entender a dinâmica de uma orquestra.
    • Audições: Prepare-se para muitas audições ao longo de sua carreira. Estas são altamente competitivas e você precisará apresentar um alto nível de performance. É importante praticar e se preparar meticulosamente para cada audição.
    • Networking: Faça conexões dentro da indústria musical. O networking com outros músicos e profissionais da área pode abrir portas e oferecer oportunidades cruciais para sua carreira.
    • Flexibilidade: Ser flexível em termos de estilo musical e adaptação pode ser uma grande vantagem. Muitos músicos de orquestra também participam de projetos paralelos, tais como ensinar, tocar em grupos de câmara ou participar de gravações de estúdio para aumentar sua renda e diversificar suas habilidades.
    • Resiliência Psicológica: É importante estar mentalmente preparado para lidar com rejeição, estresse e alto nível de exigência. A resiliência psicológica ajudará a superar momentos difíceis e a manter o foco em seu desenvolvimento e objetivos a longo prazo.
    • Conhecimento do Mercado: Entenda o mercado musical em Portugal, que pode oferecer oportunidades em orquestras sinfônicas, orquestras regionais, ensino, e ensembles de câmara. Familiarize-se com os desafios e oportunidades específicos da vida musical portuguesa.

    A carreira de músico de orquestra exige dedicação, paixão pela música e um compromisso com a excelência contínua. Em Portugal, como em qualquer lugar, é uma profissão que pode ser extremamente recompensadora para aqueles que amam a música e estão dispostos a dedicar-se inteiramente a ela.

    Perspectivas e Ofertas de Emprego na Área de Músico de Orquestra

    Ser um músico de orquestra é uma profissão que exige não só talento e dedicação, como também uma formação especializada e a capacidade de se adaptar a diversas situações de performance. Em Portugal, como em muitos outros países, as oportunidades de emprego para músicos de orquestra podem variar bastante consoante diversos fatores, como o tipo de orquestra (sinfónica, de câmara, regional, juvenil), o prestígio da mesma, e a especialização do músico.

    Ofertas de Emprego
    As ofertas de emprego para músicos de orquestra em Portugal podem ser encontradas através dos seguintes canais:

  • Anúncios em publicações especializadas, tanto online quanto impressas.
  • Websites de orquestras e instituições de ensino musical.
  • Concursos e audições, que são o meio mais comum de recrutamento de músicos de orquestra.
  • Redes profissionais e de contactos dentro da comunidade musical.
  • Agências e organizações que atuam como intermediárias entre músicos e orquestras.
  • Perspectivas de Carreira
    Ser membro de uma orquestra em Portugal oferece uma série de perspectivas de carreira, que incluem:

  • Desenvolvimento contínuo de habilidades técnicas e musicais.
  • Oportunidade para atuar em concertos localmente, nacionalmente e, por vezes, internacionalmente.
  • Possibilidade de participar em gravações de música para várias mídias, como cinema, televisão e rádio.
  • Acesso a uma rede profissional de músicos que podem criar oportunidades de colaborações e projetos paralelos.
  • Ensinar como professor nos conservatórios e escolas de música, uma vez que muitos músicos de orquestra combinam performances com o ensino.
  • Desafios da Profissão
    Apesar das oportunidades, ser músico de orquestra também apresenta seus desafios, tais como:

  • Concorrência elevada para vagas limitadas, exigindo preparação intensa para audições e concursos.
  • Necessidade de prática constante e aprimoramento das habilidades para manter um nível elevado de performance.
  • A instabilidade financeira pode ser uma realidade, especialmente no início de carreira ou se o músico não tiver uma posição fixa em uma orquestra.
  • A mobilidade geográfica é frequentemente necessária para aproveitar as melhores oportunidades, que podem estar espalhadas por todo o país ou mesmo no estrangeiro.
  • Portugal dispõe de uma rica tradição musical e várias orquestras de renome, como a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra Sinfónica Portuguesa e a Orquestra Metropolitana de Lisboa, entre outras. Para os músicos interessados em desenvolver uma carreira nesta área, é essencial estar a par das últimas tendências do mercado musical, entender os caminhos para a progressão na carreira e estar preparado para as exigências e a beleza deste caminho profissional.

    Ler mais  Assistente Social: Conhece esta profissão